Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Mais que um jogo!

«If you play on possession, you don’t have to defend, because there is only one ball» - Johan Cruyff

Mais que um jogo!

«If you play on possession, you don’t have to defend, because there is only one ball» - Johan Cruyff

José Mourinho: do passado ao presente

por Henry, em 28.04.15

_67949989_porto_empics.jpg

 

Curioso ver aquilo que Mourinho pensou sobre o jogo no início da sua promissora carreira e aquilo que pensa agora.

 

2015: «O Barcelona jogava um futebol bonito todas as semanas. Quando é que atingiram o ponto mais alto? Foi quando o Real Madrid se sagrou campeão? O que é o jogo bonito?»

Há alguns anos atrás: «O desenvolvimento da filosofia futebolística de um clube deve basear-se em 3 principios fundamentais: conseguir o maior número possível de títulos com um futebol atractivo e com o maior número de jogadores jovens e comunitários» 

 

2015: «Pergunto-me se, no futuro, quando for avô e estiver em casa com os meus netos, o futebol se vai resumir a um belo relvado sem golos. E que nesse relvado a equipa com mais posse de bola vença o jogo. Porque ouço muita gente dizer `sim, a minha equipa joga muito bem, tem muita posse de bola… Parece que os golos já não contam» - 2015

Há alguns anos atrás: «Quero alcançar melhores resultados com um futebol mais alegre. Para mim, a beleza no futebol passa sobretudo por ter o controlo do jogo através da posse de bola, dos ritmos de jogo, trocas de passe e os jogadores criativos terem preponderância dentro do colectivo»

 

2015: «Para mim, jogo bonito é saber exatamente o que fazer em campo. Contra o Arsenal fomos brilhantes do primeiro ao último minuto».

Há alguns anos atrás: «O objectivo mais importante é marcar (muitos) golos, criar (muitas) oportunidades para marcar, usar o espaço e o tempo em relação com os companheiros e oponentes, ter a posse de bola o maior tempo possível» [Goal attempts - Arsenal: 12 / Chelsea: 6 ~ via flashscores]

Os melhores: Zlatan Ibrahimović

por Henry, em 21.03.15

 

 

Temporiza, fixa dois jogadores percebendo a movimentação de Lavezzi e usa a sua qualidade técnica para soltar da melhor forma no seu colega de equipa.

 

Os melhores, aqueles que se distinguem de todos os outros, são aqueles que têm uma capacidade tremenda para tomar decisões acertadas na maioria do tempo que passam em jogo. São humanos, falham. Irão sempre falhar. Mas aquilo que os torna mais valiosos que os outros é a forma como quase que não erram durante os noventa minutos.

 

Percebem o futebol, e querem dar o seu melhor ao jogo. Identificam as condições mais favoráveis para a sua equipa fazer o golo. Se precisarem de parar, esperar por uma melhor opção... Não há problema, eles páram e esperam. E nesse intervalo, quando já ficam sem tempo e espaço para pensar, não há problema porque eles já pensaram muito antes de não o haver. Se a bola não está em condições para o passe simples, eles inventam e arranjam maneira de fazerem chegar a bola onde querem. Se na bancada dizem que X é a melhor decisão, esses jogadores conseguem encontrar uma decisão ainda melhor do que a perceptível aos olhos dos adeptos.

Estes jogadores enchem-nos de futebol, de possibilidades inimagináveis, conseguem surpreender-nos jogo após jogo mesmo quando parecia que já tinhamos visto o seu melhor. 

 

Zlatan Ibrahimović é desses jogadores, desses fora-de-série que nasceu para jogar futebol. É um jogador muito valioso para qualquer equipa, um ponta-de-lança fora-de-série. Em posse, dá tudo o que a equipa precisa. Um dos melhores de sempre, daqueles que ficará imortalizado na história do jogo.

 

"Os golos não são o mais importante"

por waxa, em 05.03.15

De facto no futebol o objetivo é colocar a bola dentro das balizas adversárias, mas não é certamente o aspecto mais importante num jogo de Futebol.

"Sem golos não há vitórias!", correcto, e sem dinâmicas de jogo, há golos?

Aproveitando o post, e o vídeo presente nesse mesmo post do blog Lateral Esquerdo deixo um exercício bastante interessante. Por redução ao absurdo imaginem que todas as invenções de Ricardo Quaresma acabavam em golo ou em assistência, era por isso que as decisões que ele tomou eram correctas?! Não. E explica bem no vídeo o porquê.

Aproveitando as palavras também, "...que Quaresma não teve sucesso. Ele não o teve, porque não joga nada. Uma batata pensa mais no jogo do que ele."

 

Pep não necessitou de lateralizar o jogo ou de procurar rapidamente o golo para ganhar a Liga dos Campeões em 2011 porque é certo que com boas dinâmicas de jogo os golos aparecem, e o contrário já não se pode dizer. Não é ao acaso que nesse ano o Barcelona cilindrou todas as equipas na Liga dos Campeões.

"Mas eu gosto de ver a minha equipa a marcar golos!", parabéns, eu gosto que ela jogue bem independentemente dos golos.

  •  
  • Tags

    mais tags